Temer irá cancelar 422 mil benefícios do INSS pago a trabalhadores

Até o final do ano mais cortes deverão atingir trabalhadores em situação de vulnerabilidade, como os beneficiários do BPC e aposentados por invalidez

Escrito por: Redação CNTRV com informações da CUT • Publicado em: 18/04/2018 - 11:38 Escrito por: Redação CNTRV com informações da CUT Publicado em: 18/04/2018 - 11:38

Internet

Às vésperas de completar dois anos do golpe de Estado, o governo ilegítimo e golpista de Michel Temer (MDB-SP) anunciou que irá cancelar 422 mil benefícios sociais. Destes, 228 mil são de auxílios-doença, 151 mil Benefícios de Prestação Continuada (BPC) e 43 mil de aposentadorias por invalidez.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (16), em Brasília, pelos ministros do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, e do Planejamento, Esteves Colnago. Eles disseram que diversos programas sociais estão sendo revisados com o objetivo de acabar com 1,8 milhão de benefícios entre auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. A economia que se pretende com a adoção das medidas drásticas para a população mais vulnerável do país é de aproximadamente R$ 20 bilhões.

Entrar na Justiça contra o fim de benefícios

Segundo a secretária Nacional da Saúde do Trabalhador da CUT, Madalena Margarida da Silva, os sindicatos filiados à Central deverão orientar os trabalhadores/as com benefícios cancelados a entrarem com ação judicial contra o governo.

A divulgação do cancelamento é feita por carta ou no site do ministério da Previdência, onde consta a lista de quem deve fazer a reavaliação tanto para a aposentadoria por invalidez quanto para o auxílio-doença e beneficiários do BPC.

O governo anunciou que o trabalho de revisão deverá continuar até o final deste ano.

 

Título: Temer irá cancelar 422 mil benefícios do INSS pago a trabalhadores, Conteúdo: Às vésperas de completar dois anos do golpe de Estado, o governo ilegítimo e golpista de Michel Temer (MDB-SP) anunciou que irá cancelar 422 mil benefícios sociais. Destes, 228 mil são de auxílios-doença, 151 mil Benefícios de Prestação Continuada (BPC) e 43 mil de aposentadorias por invalidez. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (16), em Brasília, pelos ministros do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, e do Planejamento, Esteves Colnago. Eles disseram que diversos programas sociais estão sendo revisados com o objetivo de acabar com 1,8 milhão de benefícios entre auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. A economia que se pretende com a adoção das medidas drásticas para a população mais vulnerável do país é de aproximadamente R$ 20 bilhões. Entrar na Justiça contra o fim de benefícios Segundo a secretária Nacional da Saúde do Trabalhador da CUT, Madalena Margarida da Silva, os sindicatos filiados à Central deverão orientar os trabalhadores/as com benefícios cancelados a entrarem com ação judicial contra o governo. A divulgação do cancelamento é feita por carta ou no site do ministério da Previdência, onde consta a lista de quem deve fazer a reavaliação tanto para a aposentadoria por invalidez quanto para o auxílio-doença e beneficiários do BPC. O governo anunciou que o trabalho de revisão deverá continuar até o final deste ano.  



Informativo CNTRV

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.