Relator da reforma da Previdência mantém rebaixamento do teto salarial para pagamento do PIS

Houve apenas a adequação ao salário mínimo dos estados

Escrito por: Redação STI Vestuário de Sorocaba • Publicado em: 18/06/2019 - 21:39 • Última modificação: 18/06/2019 - 21:42 Escrito por: Redação STI Vestuário de Sorocaba Publicado em: 18/06/2019 - 21:39 Última modificação: 18/06/2019 - 21:42

Reprodução Internet

                O relator da reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira, do PSDB/SP, manteve o rebaixamento do teto salarial para o pagamento do abano do PIS. Atualmente têm direito ao benefício, trabalhadores que recebem até 2 salários mínimos (R$ 1996,00). A proposta de Bolsonaro era de rebaixar o teto para apenas 1 salário mínimo (R$ 998,00) e a do relator é rebaixar para R$ 1.364,00, sob o argumento que esse valor seria condizente com os salários mínimos regionais.

                Embora a proposta seja um pouco melhor que a de Bolsonaro, o rebaixamento do teto salarial para pagamento do abono do PIS prejudicará milhões de trabalhadores e trabalhadoras dos setores industrias, incluindo o vestuário. “Continua sendo um retrocesso. Se a reforma da previdência for aprovada, muitos trabalhadores do vestuário de Sorocaba perderão o direito ao abono do PIS”, destacou Paula Proença, presidenta do Sindicato da categoria.

Título: Relator da reforma da Previdência mantém rebaixamento do teto salarial para pagamento do PIS, Conteúdo:                 O relator da reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira, do PSDB/SP, manteve o rebaixamento do teto salarial para o pagamento do abano do PIS. Atualmente têm direito ao benefício, trabalhadores que recebem até 2 salários mínimos (R$ 1996,00). A proposta de Bolsonaro era de rebaixar o teto para apenas 1 salário mínimo (R$ 998,00) e a do relator é rebaixar para R$ 1.364,00, sob o argumento que esse valor seria condizente com os salários mínimos regionais.                 Embora a proposta seja um pouco melhor que a de Bolsonaro, o rebaixamento do teto salarial para pagamento do abono do PIS prejudicará milhões de trabalhadores e trabalhadoras dos setores industrias, incluindo o vestuário. “Continua sendo um retrocesso. Se a reforma da previdência for aprovada, muitos trabalhadores do vestuário de Sorocaba perderão o direito ao abono do PIS”, destacou Paula Proença, presidenta do Sindicato da categoria.



Informativo CNTRV

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.