Procurador-geral do TST fala em “revisão” da Reforma Trabalhista

Temer ouviu críticas sobre mudanças na CLT durante cerimônia de posse da nova direção do Tribunal Superior do Trabalho

Escrito por: Redação CNTRV com informações da Rede Brasil Atual • Publicado em: 27/02/2018 - 10:49 • Última modificação: 27/02/2018 - 10:56 Escrito por: Redação CNTRV com informações da Rede Brasil Atual Publicado em: 27/02/2018 - 10:49 Última modificação: 27/02/2018 - 10:56

Rede Brasil Atual

                Tomou posse nesta segunda-feira, 26, a nova direção do Tribunal Superior do Trabalho (TST). No evento, realizado em São Paulo, Michel Temer, que não discursou e apareceu sem o Ministério do Trabalho, ouviu críticas à Lei 13.467 (Reforma Trabalhista).

                A principal delas veio do Procurador-geral do TST, Ronaldo Curado Fleury, que citou o relatório da Organização Internacional do Trabalho sobre a reforma trabalhista brasileira que inclui “pontos que demandam revisão pelo governo por apresentarem contraste com convenções internacionais”.

                De acordo com matéria publicada pela Rede Brasil Atual, o novo presidente da Corte, João Batista Brito Pereira, foi categórico ao afirmar que “se estiver em conflito com a Constituição, prevalece a Constituição”. Segundo advogados que formam o Coletivo Jurídico do Macrossetor da CUT, vários pontos da Reforma Trabalhista são inconstitucionais”.

Título: Procurador-geral do TST fala em “revisão” da Reforma Trabalhista, Conteúdo:                 Tomou posse nesta segunda-feira, 26, a nova direção do Tribunal Superior do Trabalho (TST). No evento, realizado em São Paulo, Michel Temer, que não discursou e apareceu sem o Ministério do Trabalho, ouviu críticas à Lei 13.467 (Reforma Trabalhista).                 A principal delas veio do Procurador-geral do TST, Ronaldo Curado Fleury, que citou o relatório da Organização Internacional do Trabalho sobre a reforma trabalhista brasileira que inclui “pontos que demandam revisão pelo governo por apresentarem contraste com convenções internacionais”.                 De acordo com matéria publicada pela Rede Brasil Atual, o novo presidente da Corte, João Batista Brito Pereira, foi categórico ao afirmar que “se estiver em conflito com a Constituição, prevalece a Constituição”. Segundo advogados que formam o Coletivo Jurídico do Macrossetor da CUT, vários pontos da Reforma Trabalhista são inconstitucionais”.



Informativo CNTRV

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.